quarta-feira, 25 de abril de 2007

macarrão instantâneo

eu sou tão hipócrita com isso aqui que entrei num disfarce terrível , cinza e melancólico, diferente de qualquer parte de mim. tá, tudo bem! tem algumas partes que são só isso mesmo, mas definitivamente não é o que prevalece.
palavra-chave do mês: crise. pronto, passou. agora deixa de bobeira e pára de escrever sangrando!

a bandinha mais querida de todos os tempos acabou por uns tempos. mas quem se importa? bom, eu. mas é que quando as coisas resolvem fluir, elas fluem mesmo e dão pra render que é uma beleza. até meu tempo parece que duplicou. e eu vou continuar colocandos os velhos cds pra tocar mesmo décadas depois.
minha felicidadezinha com cara de instântanea e medíocre me comove.

achei um textinho besta feito no começo do ano passado. alguma coisa como: eu tento escrever mas só consigo escrever sobre amor. indignada, a pobre de mim! e nem sei porque. eu sempre soube mesmo que é esse meu amor tolo, cego e antiquado, o motivo de tudo. minha vida gira em torno dele e isso me parece até banal. mas a banalidade não é exatamente o trivial, diriamos, o desamor?
mas é como eu dizia.. quem se importa? dessa vez, assumo que não.

2 comentários:

nana disse...

macarrão instantâneo?

nana disse...

moscas..