terça-feira, 3 de abril de 2007

isso

o impacto das coisas que você me disse eu só fui sentir hoje, umas quinze horas depois de você dizer. as coisas não, uma delas. as outras ainda estão sendo processadas.
eu só percebi o tamanho daquilo quando fui contar pra ela, que me olhou com olhos tão arregalados que eu tive que parar pra pensar. então, era verdade.
todas as coisas que eu pensei impossíveis, aconteciam enfim. porque na verdade, eu fui tola de acreditar que dessa vez seria diferente. as coisas acontecem, inevitavelmente e sem exceções. é certo que eu estou sendo pessimista, e que pode até ser que nos próximos dois minutos tudo se inverta, como se inverteu na noite passada. mas por enquanto é mais ou menos assim que eu me sinto, como se de leve eu já estivesse perdendo você.
ontem a noite, eu nem senti. dormi leve e eu diria até, anestesiada. mas de qualquer forma, foi maravilhoso me ver sangrar denovo. eu me lembrei que, ora ora vejam só, eu ainda sei ser forte com essas coisas e fingir que "por mim? tudo bem!". isso sem falar o quanto a sua sinceridade me fez bem. eu insisto nessa de que é melhor ver meu castelo de areia desmoronar aos poucos do que de uma vez, porque assim eu posso, também aos poucos, ir reerguendo as bases nada sólidas que um dia existiram ali.

ela me perguntou se nós estávamos em crise. e eu disse que não.
porque eu acredito, veementemente, que não.

Um comentário:

Nana disse...

do seu jeito.. vc arrumou um jeito!
sou sua fã!