terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

velho, novo

estava vazia de palavras. não de idéias, essas continuavam estourando feito pipoca na panela. eu passara todo o tempo com aquele velho olhar parado, e igualmente vazio. a cabeça feito pipoca, os papéis e o mundo cheio de números. improdutivos.
e ai eu quis o teu abraço como eu sempre quero quando meu corpo esfria. meus pés eram pedras de gelo, minhas unhas pintaram-se de rosa, de raso. o sol lá fora contrastava com a minha palidez.
era aquela velha tristeza bonita, eu diria até necessária. cor de mais enjoa, de vez enquando é bom sentir o cinza das coisas rabiscarem feito grafite. grafite 0.5, mais fino, mais fraco, mais fácil de apagar.

4 comentários:

bruno:cunha disse...

já me acostumei tanto com o cinza que até estranho muita cor

Renatinha disse...

Ahhh tia Déeh...

João Paulo disse...

"grafite 0.5, mais fino, mais fraco, mais fácil de apagar."

Fico sem palavras para comentar...

Remo Saraiva disse...

Onde, na comunidade da Piauí, você nos encontrou (Caramelinhos & Caraminholas)??

Abs,
REMO SARAIVA.