quarta-feira, 12 de agosto de 2009

você, ou talvez eu

nenhuma daquelas coisas continua igual. agora, e em definitivo, elas já não são mais as mesmas. nem de longe. e nem você.
ou talvez seja apenas você.

talvez agora você possa se impregnar de si mesma.
talvez as portas estivessem sempre abertas e você precisasse não de chaves, mas de óculos.
e talvez agora você se esqueça de medir. da forma mais espontânea possível, sem todo aquele esforço que você fazia, sempre acabando por medir ainda mais. sempre contando, sempre cobrando.
não cobrar é muito mais fácil. só sentir, ainda mais.
e sentir com menos vontade de doer é melhor ainda.


" - a paz de estar em par com deus."

2 comentários:

Gabriel disse...

e você precisasse não de chaves, mas de óculos.
foda!

e na minha opiniao entre todas essas minusculas, uma ai tinha que ser maiuscula.

nana disse...

sentir com menos vontade de doer é melhor ainda.

é, é mesmo!
'pode rir agora, que o fio da maldade se enrola..'