segunda-feira, 22 de outubro de 2007

você viver mais

-sabe pai, eu tenho um blog. é, um blog, uma daquelas coisinhas de internet que todo mundo cismou de ter de uns tempos pra cá. eu também cismei. sabe, já tem até um tempinho. já tem um bocado de textos e de lembranças por lá. e sabe, eu sempre quis te mostrar, eu juro. mas me faltou coragem. eu fiz um blog pra poder ser idealista nele e mais realista fora dele. exatamente como você quis. às vezes eu acho que é tudo pra você. que eu escrevo pra você. é que tirando uns dias poucos, eu continuo te enxergando de azul e vermelho e um S no peito. ou melhor, eu continuo te exergando despindo a roupa de papai noel, que você nunca despiu por inteiro.
-sabe pai, eu quero tanto que você se orgulhe. acho que é por isso que eu venho lutando todos os dias, desses dez últimos anos. e quando eu vejo as minhas pernas curtas e o meu quarto lilás, é que eu enxergo as outras dezenas de anos que eu vou ter de continuar lutando. eu prometi, e disso você também não sabia. naquele dia no bosque, eu prometi. e ninguém nunca vai entender minhas promessas, e o meu empenho, e muito menos o meu amor. talvez, nem eu.
-sabe pai, eu queria muito que você lesse. que você me lesse. no fundo é um monte de besteiras, mas eu mesma nem acredito nisso mais. existe uma verdade enorme nisso tudo aqui, não é por acaso que ele veio a se chamar espelho. sabe, eu tenho até uns leitores bem assíduos pra falar a verdade. e é engraçado como eles me olham, e até me aplaudem com umas exclamações cheias de entusiasmo. é bonitinho que só. e eu me renovo de vontades de continuar me derramando pra eles a cada exclamação dessas, porque não há ego que resista, eu confesso.
-sabe pai, tem tanta coisa que eu queria que você soubesse. tem tanta história que eu queria contar, tanto tempo que eu queria voltar, tanta música preu te cantar. mas eu tô crescendo sem querer crescer. eu não posso mais te chamar a noite por um mau presságio, nem adoecer porque você viajou e nem chorar lendo pra você um desses meus textos bobos. eu preciso ser grande, e forte, e não mais a "rapa do tacho" insensível sendo a mais sensível de todas, porque puxou de você a alma de artista.
-sabe pai, às vezes o que eu mais queria era voltar pro bosque. e andar por entre os galhos deitados e folhas caídas. só por mais um dia. pra não esquecer das poucas imagens que eu ainda não esqueci. e engolir menos o choro, e cantar nossas músicas outras vezes, e te ouvir falar todas as suas coisas por horas e horas. e fazer igual a Takai e escrever uma canção pra você viver mais.

7 comentários:

Aline disse...

x~
não sei se vc vai acreditar, se vc não acreditar, eu deixo vc perguntar pra mah(minha irmã) que tá aqui do lado, mas eu to chorando. to porque foi bonito. mais bonito que seus textos subjetivos, esse foi quase um pedido, quase uma lagrima escorrendo por uma tela branca de computador.. só não pude evitar..

"sabe, eu tenho até uns leitores bem assíduos pra falar a verdade" completamente, pra falar a verdade :)

e, só mais uma coisa.. a gente pode pedir o quanto for, mas pais não deitam pra dormir e sonham com o endereço do tal blog da filha. fala pra ele debrá x)

A. Fleury disse...

quase que idem ao seu comentário no TdC.

escrever com sinceridade completa de sentimentos é bem mais produtivo =]

;*

Godoy disse...

Que bonito.

Gabriel disse...

=D agente cresce neh deh, mas para nossos pais sempre seremos filhos ^^

ficou muito bom, e...
aqui nós somos o público, e a atríz principal eh vc! seu ego vai ter de aguentar xD
um beijo

bruno:cunha disse...

obrigado por me fazer chorar, deh

tainara disse...

vistitando o blog do arthur achei o seu déh..e gostei tanto de ler esse texto em especial.me lembrou um texto que fiz também ao meu pai há muito tempo..
e o que tenho a fazer são só elogios. não só ao texto bem escrito mas principalmente aos lindos sentimentos traduzidos em palavras tão sinceras!

;*
canção pra você viver mais.adoro essa também :***

galan disse...

justo como a aline disse: só pra falar a verdade.
que intimidade é essa que me deu, Deca? você que inventou a magia, ora tenha a fineza de dizer como ela funciona! que poder é esse de me fazer sentir pertinho de você?

um beijo pra você e pro seu (seu mesmo) Seu Bosco! x)